Mil e uma palavras para conhecer antes de crescer...

terça-feira, 16 de outubro de 2012

A Manifestação

- Gato. Gato… Gatooo! Gato!!!
- Calma… Já vou. Para quê tanta pressa… Ai, ai… Quem me dera que a nossa casa fosse um castelo e poder ficar escondido na alcáçova, a dormir todo o dia.
-Tu, meu Gato, por vezes tens cada mania de rei, de califa.
- E não posso? Sou descendente de uma longa de linhagem de gatos europeus, de grande qualidade… Tu sabes que atribuíram o Prémio Nobel à Europa? Logo também fui agraciado. Sou um nobre Gato nobelizado.
- Que chique! Tu imaginas os senhores que decidiram o prémio Nobel da Paz a fazer uma lista onomástico de todos os europeus?
- Claro, das pessoas, dos gatos, dos periquitos, das abelhas, dos caracóis… Em tempo de crise não se poupa ninguém!

A bruxinha desata a rir-se.

- Anda lá deixa-te de delírios vamos ao trabalho.
- Trabalho? Hoje não me apetece mesmo nada… Com este tempo de outono, com as folhas a cair, as fofas almofadas a olharem para mim e um monte de livros novos para ler…
-Impossível! Impossível descansar hoje. Lembras-te daquela greve de legumes no Carnaval passado?
- Claro que me lembro. O nosso jardim parecia dia de mercado.
- Pois eles resolveram fazer uma nova manifestação, hoje, no dia Mundial da Alimentação. Estão todos lá fora à espera…

Dia Mundial da Alimentação - Sabe Mais k(que) os teus Pais

O gato olha pela janela e de facto há uma turba colorida que se estende desde o portão do jardim e se perde de vista ao fundo da rua.

- Mas são pessoas!
- Claro que são pessoas. Ou melhor estão disfarçados de pessoas. Não estamos no Carnaval. Achas que iam andar por aí beringelas, cebolas e pés de salsa?
- Há dois com turbantes serão sarracenos?
- Deixa ver… Hum… São os donos do restaurante árabe.
- Mas tu ontem não me disseste nada.
- Não sabia de ti, desapareceste. E eu só ao fim da tarde recebi o mail da Abóbora. Estive toda a noite a ajudar com os fatos. Agora faltam os comunicados para os jornais e para as redes sociais. Sem o Twitter e o Facebook o mundo não se comunica. Tenho aqui uma longa lista de coisas para encaminhar…

A Bruxinha começa a ler em voz alta.

- Ena, tanta coisa! - diz o gato- Tens a certeza que é essa lista de reivindicações que te foi enviada pela D. Abóbora para a Manifestação do Dia da Alimentação?
- Bem… Já não tenho a certeza. Acho que meio mundo e mais um quarto me enviou petições…
- E agora o que fazemos?
- O que fazemos? Vamos pôr a lista na página do “SABE MAIS…” Dizem que os chefes da Europa leem o que o Presidente da República escreve no seu mural… Estamos numa democracia… A voz do povo também tem de ser escutada. Vamos lá tratar disto. Pedimos ajuda ao Paulo.
- Não achas que devíamos traduzir para alemão?
- Claro que não! Cada bandeira deve estar direita no seu lugar. Falamos e escrevemos português.
- Esta lista vai demorar a colocar. Continuam a chegam pedidos de todo o lado.
- Vamos atualizando… As petições que vão chegando.

"Unidos venceremos..."
(dizem eles, os legumes, no Dia Mundial da Alimentação).
Dizemos nós: homens, mulheres, crianças, cães, gatos, periquitos, caracóis, abelhas, flores, frutos, hortaliças, pedras da calçada… candeeiros de ruas mal iluminadas, tapetes de palácios, nascentes de pequenos rios, peixes graúdos e miúdos, gotas de chuva e tímidos raios de sol, livros e telas pintados…notas musicais e até as letras do alfabeto.
Todos, juntos no seu humilde tributo, exigem:

  • Ser convocada para todas as refeições (sopa de legumes).
  • Ser o primeiro na mesa (pratos fundos da sopa).
  • Árvores, muitas árvores (cidade grande e infeliz).
  • Espaço para jogar à bola (Francisco).
  • Parques para brincar com o vento( folha amarela de outono).
  • Liberdade de picotear ao ar livre. (galinha de aviário).
  • Vastos pastos verdes (vaca continental).
  • Recusa de longas viagens de avião e barco que os faz chegar à mesa sem sabor (pêssego de supermercado).
  • Espaço para os filhos saberem a cor do céu ( coelho branco).
  • Tempo para ganharem naturalmente cor e cheiro (cenoura de uma embalagem anónima).
  • Passeios sem obstáculos (mãe que passeia carrinho com bebé).
  • Tempo para chegar cedo a casa e jantar com os filhos (um pai).
  • Risos das crianças no recreio da escolas (árvore de aldeia).
  • Mimos das mães (Henrique).
  • NOVOS LIVROS!! (uma biblioteca).
  • Leitores de jornais (senhor Alfredo do quiosque).
  • Bolos sem açúcar ( Manuel, 8 anos, diabético).
  • Tempo para brincar (miúdos de um ATL).
(...)

Texto: Sílvia Alves
Ilustrações: Maria del Toro

Sem comentários:

Publicar um comentário

Seguidores